Operação tapa-buraco é iniciada na Avenida Monteiro Lobato

Fotos: Divulgação

Nesta terça-feira (30), a Prefeitura de Mongaguá deu início à operação tapa-buraco, com máquinas de pavimentação (rolo compressor) na Avenida Monteiro Lobato. O primeiro bairro contemplado foi a Vila Atlântica, onde o asfalto estava com maior desgaste devido aos longos períodos de chuva e maré alta (que afeta a estabilidade do asfalto, fragmentando-o).

O diretor de Obras Públicas, Otávio Mosca Diz, explica que a ação só é viável com o solo seco. “A umidade não permite a compactação correta do material, por isso precisamos aguardar o local secar, após o período de chuva, para iniciarmos o trabalho.”

Recuperação – O Poder Público também busca alternativas para prosseguir com a recuperação da pavimentação da via. Já foram contemplados três trechos da avenida – Jardim Praia Grande, Itaóca e Agenor de Campos – com recursos municipais, estaduais e federais.

O projeto contempla a recuperação da pavimentação asfáltica, implantação de rampas de acessibilidade, sinalização viária vertical e horizontal, e pontos de ônibus. “A Monteiro Lobato é a principal via de acesso aos bairros de Mongaguá e não recebeu melhorias entre 2009 e 2012”, destaca o diretor.

Por dentro do assunto – Estudos promovidos no Brasil e em outras nações apontam que não existe asfalto perfeito, livre dos problemas causados pela deterioração do material. Em uma análise recente, divulgada pela imprensa, a degradação do asfalto tem como principal motivo a umidade e a água.

Mongaguá, da mesma forma que qualquer cidade litorânea, sofre com as recentes chuvas de maior intensidade e maré alta, que aumentam significativamente o desgaste do pavimento em vias asfálticas.

Outro fator a ser destacado é o aumento importante da frota de veículos de todos os portes em circulação na cidade, conforme pesquisas recentes de órgãos especializados. Entre 2006 e 2016, o número de automóveis apresentou aumento de 199%, o maior da Baixada Santista. Hoje, mais de 19.500 veículos circulam por Mongaguá, ante aos pouco mais de 6.500 de dez anos atrás.

 

© 2013 Produzido por Trilogic

Voltar para o topo