Mongaguá reformula fluxo de atendimento na Rede de Saúde por conta da Covid-19

Por conta do retorno da Baixada Santista na fase amarela do Plano São Paulo de Enfrentamento à Covid-19, a Prefeitura de Mongaguá, por meio da Diretoria de Saúde, modificou a estratégia de atendimentos da Rede Pública Municipal de Saúde.

 

Agora, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) permanecerá como unidade-referência para casos de sintomas gripais. No entanto, isso não limitará o atendimento somente a este fim, pois há volume expressivo de outras demandas.

 

Com isso, a UPA será reorganizada, visando a distinção dos públicos, com divisão de ambientes sinalizada por demarcações em solo. A ideia é acolher os pacientes em consultórios estrategicamente distantes e direcioná-los a lados opostos, dependendo da queixa apresentada.

 

O Pronto Socorro Central também será envolvido nessa mudança. A unidade, que conta com uma tenda de triagem, também contribuirá com a separação de públicos, além e atender os casos de sintomas gripais leves – que podem sinalizar outras doenças que não sejam a Covid-19, como resfriado, pneumonia ou outra patologia –, designando, portanto, somente os casos graves e que precisem de internação para a UPA.

 

As nove Unidades de Saúde da Família da cidade também terão alteração em suas rotinas. A partir do dia 4 de janeiro, os postos reduzirão as agendas de rotina, reservando apenas o período da manhã para as consultas ambulatoriais, de clínico geral e pediatria, além de vacinas e outros procedimentos de enfermagem. Já o período da tarde será utilizado para o acolhimento de demanda livre de sintomas gripais leves.

 

“Com essa descentralização, buscaremos levar o acolhimento e atendimento de queixas relacionadas a síndromes gripais – ocorrências mais registradas nos últimos tempos, sendo que nem todas estão relacionadas à Covid-19 – para mais próximo do paciente, distinguindo e encaminhando melhor as patologias apresentadas, ampliando o campo de atuação em prevenção e orientação, agilizando a assistência e o tratamento, e, ao mesmo tempo, reduzindo o número de pessoas em um só ambiente”, ressaltou o diretor de Saúde, Marcelo Veiga do Marco.

 

Por ora, o Pronto Socorro Infantil, estabelecido nas dependências do Hospital Municipal, não sofrerá alterações em sua rotina de atividades.

 

TESTAGEM – A Diretoria de Saúde estuda implementar um Centro de Testagem no estacionamento da UPA. O espaço seria semelhante à tenda instalada ao lado do Pronto Socorro Central, mas específico para testagens de RT-PCR (SWAB) e realização de testes rápidos. Com isso, os pacientes que receberem a prescrição médica na própria UPA, no Pronto Socorro ou nos postinhos terão este local para os procedimentos. A concretização desta ideia está em fase final de análise técnica.